Acidentes com petróleo

Em casos de acidentes com animais marinhos afetados por petróleo, entre em contato imediatamente com a SOS AVES E CIA. para que o animal seja resgatado a tempo e tratado.

Da fauna marinha, as aves são as mais afetadas. Ao capturá-las, ainda no local, o nosso primeiro procedimento a ser realizado é a desobstrução das fossas nasais e a limpeza do bico. Para a limpeza dos olhos, aplica-se uma pomada oftálmica com antibiótico cloranfenicol com vitamina A.

Quando aves em estado de choque são resgatadas, é utilizado corticóide dexametasona. Depois deste atendimento inicial, o animal deve ser envolvido em panos ou papel toalha na tentativa de elevar-se a temperatura corporal.

Em seguida, o animal é levado ao centro de reabilitação, onde são verificados a condição corpórea através da musculatura peitoral, possíveis lesões e ferimentos. É ainda feita uma nova limpeza dos resíduos encontrados no bico e nas fossas nasais.

Para a desintoxicação das aves, é utilizado solução de glicose com carvão ativado, para remover toxinas encontradas no trato digestivo, introduzida através de sonda. Na sequência, as aves são submetidas a banhos com óleo vegetal e, posteriormente, água morna com detergente neutro para retirada completa do diesel do corpo. Não utilize, sob hipótese alguma, qualquer outro produto removedor para não causar intoxicação maior a ave. As penas estando limpas, são secas com toalhas e colocadas em ambiente/caixas com aquecimento.

Depois de duas horas de repouso, água e alimento são fornecidos às aves. Caso não possam ingerir por si próprias, a alimentação deve ser feita através de sondas contendo glicose e antibiótico.

Entenda: os vazamentos de petróleo nos oceanos trazem danos incalculáveis para o ecossistema aquático.

O petróleo é composto principalmente de hidrocarbonetos e, em porcentagens menores, de nitrogênio, enxofre e oxigênio. Assim, acidentes em que há vazamento de petróleo no mar fazem com que estes compostos afetem plantas, peixes, mamíferos e toda a vida animal e vegetal do ecossistema.

O Plâncton é o primeiro a ser morto pelo petróleo, ou seja, os microrganismos vegetais e animais dos quais os peixes se alimentam, fazendo ocorrer uma reação em cadeia.

Os peixes do fundo do mar que se alimentam de resíduos acabam sendo envenenados, e morrem;

A luz do sol é bloqueada, não permitindo que as algas realizem a fotossíntese. O resultado é que os peixes da superfície também morrem por falta de oxigênio ou intoxicados pelo óleo vazado;

Substâncias tóxicas se acumulam nos tecidos de mamíferos, tartarugas e peixes, causando distúrbios reprodutivos e cerebrais;

As penas das aves ficam impregnadas de óleo e elas acabam afundando e morrendo afogadas;

Mangues próximos têm as raízes de suas árvores impregnadas pelo petróleo levando-as a morte! Peixes, crustáceos e outros animais que vivem próximo ao mangue morrem pela falta destas árvores.

Sem sombra de dúvida, os acidentes causados por grandes derramamentos de petróleo poluem o nosso meio ambiente, causando uma catástrofe. Porém, a maior parte da poluição nas águas é causada por pequenos vazamentos de diesel oriundos de motores de barcos e de carros, entre outros, que são levados pela chuva até os rios, mares e oceanos.

Assim, o impacto destes vazamentos sobre o ecossistema aquático é devastador e praticamente impossível de ser calculado. Pense nisso!